XIIª Estação da Via Sacra da Misericórdia.

1 02 2015

XII Estação. Jesus morre na cruz.

Leitor 1.

Três horas Jesus fica pregado na cruz. Neste tempo alguns fatos marcantes aconteceram.

Jesus olha sua mãe e diz-lhe: Mulher, eis aí teu filho. Depois diz a João Evangelista: Filho eis aí tua mãe. Neste momento Jesus dá um imenso tesouro à humanidade, pois João representa todos nós. Maria nos é dada por mãe. Mãe espiritual, mãe da Igreja. Este dom nos veio da cruz. É de lá que Jesus nos dá este tesouro. Maria é nossa mãe!

Leitor 2.

Ao lado de Jesus está crucificado um criminoso do lado direito e outro do lado esquerdo. Um deles (o da esquerda) diz desaforos a Jesus. O da direita, tocado pela Misericórdia de Deus, diz-lhe: para nós este castigo é justo. Mas ele que mal fez? E num ato de fé extraordinário, era impossível ver naquele homem um rei, diz: Senhor lembra-te de mim quando estiveres no teu reino. A resposta é de tal Misericórdia que jamais poderíamos imaginar. Jesus perdoa todos os seus pecados e (!) faz a primeira canonização. Hoje mesmo estarás comigo no Paraíso! O bandido agora lavado pela Misericórdia de Jesus torna-se santo, estará com Jesus no Céu! Veio da cruz a primeira canonização!

A cruz antes dele sinal de maldição, agora sinal de salvação, que afugenta o mal, o demônio.

Ó cruz bendita da qual pendeu a salvação! Ó cruz poderosa que vence o mal! Ó cruz altaneira que enfeita o horizonte no alto dos morros! Ó cruz libertadora que quebra as cadeias do pecado!

Leitor 3.

Tudo está consumado.  Pai, nas tuas mãos entrego a minha alma!

O centurião romano vendo aquilo tudo, estupefato, diz: Verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus! (Lc. 23, 44 – 49)

Cai uma chuva torrencial, são três horas da tarde, a hora da Misericórdia, contudo, já está escuro. O sumo sacerdote com suas roupas encharcadas, suas insígnias deformadas pela tempestade, fica ridículo em suas vestes solenes. Corre ao templo. No templo a ventania rasgara o véu do templo que separava o santo dos santos!

Quando for elevado da terra, atrairei todos a mim. De fato, o que parecia um desastre, um fracasso, começa a mudar.

Divina Misericórdia, mais sublime do que o céu, tende misericórdia de nós.

Diga ao ler esta reflexão: Divina Misericórdia eu me consagro a Vós.

Pe. Macedo da Divina Misericórdia

Anúncios




XIª Estação da Via Sacra da Misericórdia.

31 01 2015

XI Estação. Jesus é crucificado.

Leitor 1.

O Homem finalmente chegou ao local da crucificação. Já estão lá dois malfeitores também condenados à morte de cruz.

Os inimigos de Jesus exultam. Será pregado na cruz. Jesus é jogado sobre a cruz. Trazem os pregos grandes, martelo. Seus braços são abertos. Começam então a pregá-lo na cruz. É hora de levantar a cruz, fixá-la na terra.

Maria olha tudo com coração de mãe e fé de discípula. Assim ficará Jesus por três horas! Não há como melhorar a posição. É uma morte cruel.

O centurião romano vê tudo com admiração. Nunca viu um condenado assim, ele não reclama, ele não blasfema, ele está sereno, apesar de tudo.

Leitor 2.

Parece que este Homem foi derrotado definitivamente. Quando nos perguntamos a respeito do sofrimento humano, ficamos perplexos. Um Deus tão bom e por outro lado o sofrimento que entra na vida de todos os homens. A resposta só pode vir da cruz. Se ele o Pai, ama tanto seu Filho, porque permite tal sofrimento? Só tem sentido no Amor. Ele, Deus, tirará um bem infinitamente maior deste mal. A redenção da humanidade veio da cruz (morte) e ressurreição de Jesus. Foi por Amor e somente por Amor que Jesus morreu na cruz, para que o homem fosse salvo, isto é, tivesse a Vida Eterna, o Céu. Tivesse a reconciliação com Deus. E mais, Jesus só poderia ser nosso modelo de vida se passasse pela cruz. Pois todo homem tem uma cruz para carregar, faz parte da condição humana a cruz, ora se ele, Jesus, não tivesse, como poderia ser exemplo de vida para o homem, para o pobre, o doente, o encarcerado, o sofredor, o humilhado?

Mais do que palavras teóricas, mais do que explicações filosóficas, Jesus entra na vida humana, passa pelo sofrimento, assim ele pode ser nosso exemplo, não por belas palavras, mas com sua vida.

Leitor 3.

Caro devoto de Jesus Misericordioso, na hora do sofrimento, olhe a cruz. É possível duvidar de Deus, de seu amor, da sua misericórdia? Se grande é o mistério do sofrimento humano, maior é a Misericórdia de Deus para com todos. Deus não permitiria o mal e o sofrimento, se não tirasse daí mesmo um bem maior. A Redenção veio da cruz. Jesus faz do sofrimento, da cruz, o instrumento e o meio pelo qual o homem é resgatado e redimido de seus pecados.

Divina Misericórdia, amor dos amores, tende misericórdia de nós.

Diga ao ler esta reflexão: Divina Misericórdia eu me consagro a Vós.

Pe. Macedo da Divina Misericórdia





Xª Estação da Via Sacra da Misericórdia.

30 01 2015

Xª Estação. Jesus é despojado de suas vestes.

Leitor 1.

Lá vai o Homem! Não só acabrunhado pelo peso da cruz. O condenado passava por muitas humilhações.

O sumo sacerdote com suas vestes solenes, de festa, olha com desprezo o pobre Homem. Em sua cabeça resplandece uma como que coroa, vestes douradas.

Jesus agora passa pelo despojamento total, suas vestes são rasgadas, ele fica exposto. Era comum tal desprezo. E Jesus não faz exceção. Risos, zombarias… parece que este homem está para sempre arrasado. É impossível reabilitá-lo depois de tais acontecimentos. Como poderia Deus amar tal pessoa? Parece ter atraído toda a ira de Deus sobre si. Realmente, ele carrega todas as nossas culpas.

Rei? Ele não tem nem sequer uma veste para se cobrir. A vergonha o cobre para que não nos envergonhemos eternamente junto ao Pai.

Leitor 2.

Diz Adão no Paraíso: ouvi os teus passos e tive vergonha porque estou nu. Deus diz: Por acaso comeste da árvore da ciência do bem e do mal? ( Gn. 3, 8 – 13)

Responde Adão: A mulher que tu me deste, comeu do fruto proibido e eu também comi. Vem então o castigo: Porque fizeste isto, diz Javé, comerás o pão com o suor do teu rosto… A tua mulher dará a luz com dor.

A nudez agora causa de vergonha perante Deus. A nudez de Jesus vem reparar esta falta. Nele tem reparação, o que o pecado estragou.

A sexualidade humana, dom de Deus, tornou-se com o pecado original, fonte de problemas, pecados, sofrimento. A sexualidade agora desregrada (pelo pecado) traz inúmeros problemas. Problemas familiares, explorações, prostituição, desvios do seu verdadeiro fim.

Leitor 3.

Jesus entra nesta situação como vítima dos pecados de todas as gerações. Seu sofrimento Redentor aponta para um respeito ao corpo humano, ao amor humano, ao domínio das paixões desordenadas. Ele, que salvou prostitutas, que defendeu a mulher adúltera, agora é exposto ao desprezo popular. Seu sofrimento vem curar, limpar os traumas, as maldades em que o homem corrompido cai. Todas as situações de pecado são redimidas pelo sofrimento de Cristo.

Divina Misericórdia, descanso neste vale de lágrimas, tende misericórdia de nós.

Diga ao ler esta reflexão: Divina Misericórdia eu me consagro a Vós.

Pe. Macedo da Divina Misericórdia





IXª Estação da Via Sacra da Misericórdia.

29 01 2015

IX Estação. Jesus cai pela terceira vez.

Leitor 1.

O Homem não agüenta mais ficar em pé. Já caiu duas vezes. Seu passo é pequeno e com extrema dificuldade. Mais um desnível no caminho e Jesus cai outra vez. Precisa ser ajudado para se levantar. O Homem não tem misericórdia para com ele. Ele é a própria misericórdia.

Na história da Igreja, vemos santos que caíram, antes de sua conversão, muitas vezes em pecados e faltas. Se Deus acabasse com todo aquele que pratica o mal, tão logo o praticasse quantos santos não seriam santos. A paciência de Deus dá tempo… Espera para que o pecador se converta e assim se salve.

Leitor 2.

Na parábola do joio e do trigo, os empregados querem arrancar o joio (erva daninha) logo que percebem a sua presença. Ora, joio e trigo se parecem muito quando ainda são tenros. O dono do terreno (aqui significa Deus) diz que não arranquem o joio para que não aconteça que o trigo seja arrancado, confundido com o joio. O que parece uma negligência do dono do campo, quando a impaciência humana quer destruir o pecador, Deus na sua infinita bondade e misericórdia ainda dá tempo para que este venha a se recuperar, retome o bom caminho. (Mt. 13, 24 – 30)

Deus suporta o pecador, “atura” o mal para que o homem se salve, é em atenção ao justo que ele deixa crescer joio e trigo juntos. Haverá, porém, um dia em que a separação será definitiva. Então o trigo será recolhido no celeiro e o joio queimado.

Leitor 3.

Deus odeia o pecado, mas ama o pecador, diz Santo Agostinho. Não se pode confundir o pecado com o pecador, que na sua fraqueza, comete erros, pecados. Não se pode, todavia, acolher o mal e muito menos apoiá-lo e defendê-lo. É necessário fazer uma distinção entre um e outro. Isto parece muito claro, mas na realidade, é muitas vezes confundido. O mal é, pois, combatido pela Igreja. No entanto a Misericórdia é necessária para com a pessoa humana. Não há pecado por maior que seja que Deus não perdoe. Não há também pecado que não possa ser perdoado no sacramento da Misericórdia, a confissão.

Divina Misericórdia, esperança da humanidade, tende misericórdia de nós.

Diga ao ler esta reflexão: Divina Misericórdia eu me consagro a Vós.

Pe. Macedo da Divina Misericórdia





VIIIª Estação da Via Sacra da Misericórdia.

28 01 2015

VIII Estação. Jesus fala às mulheres que choram.

Leitor 1.

O estado de exaustão e sofrimento do pobre condenado é tão grande, que as mulheres choram. Não é possível ficar alheio a tão grande dor.

Jesus faz então uma profecia, a última. Não choreis por mim, chorai por vós mesmas e vossos filhos, porque virão dias em que se dirá, felizes as mulheres que não têm filhos. E ainda, montes caí sobre nós. (Lc. 23, 28 – 31)

De fato, virão em breve a invasão e destruição de Jerusalém, quando os romanos arrasarão a cidade. A matança e a crueldade serão imensas.

Leitor 2.

Colocando o sofrimento de Jesus e o sofrimento do povo, há um paralelo muito forte. Se as mulheres choram ao ver o seu sofrimento, Jesus sofre e chora ao ver o sofrimento do povo, de cada pessoa.

O sofrimento de pais e mães é muito grande. Quantas vezes o coração de uma mãe é partido pela dor, causada por seus filhos. Dor esta às vezes provocada conscientemente, às vezes involuntariamente.

Leitor 3.

Em qualquer circunstância, não se revoltar contra Deus; seria bom olhar este quadro da Via Sacra. As mulheres consolam Jesus e Jesus consola as mulheres.

Não há como fugir da cruz, faz parte da vida humana. Contudo, não se deve “criar” cruz nem para si mesmo, nem para os outros. A cada dia basta o seu cuidado, diz o divino Mestre. Não vos preocupeis: o que comeremos, o que beberemos, com que nos vestiremos? Vosso Pai Celeste sabe muito bem de que precisais. Procurai primeiro o Reino de Deus e sua justiça e tudo o mais vos será dado.

Divina Misericórdia, beleza da vida, tende misericórdia de nós.

Diga ao ler esta reflexão: Divina Misericórdia eu me consagro a Vós.

Pe. Macedo da Divina Misericórdia





VIIª Estação da Via Sacra da Misericórdia.

27 01 2015

VII Estação. Jesus cai pela segunda vez.

Leitor 1.

A rua agora é de morro, pedras… Mais um tropeço e Jesus cai mais uma vez. Não há mais parte de seu corpo que esteja limpa. A poeira adere às feridas. Um tombo neste momento é muito doloroso… E humilhante.

Seus inimigos riem. A que estado está reduzido o “rei” de Israel!  Parece que só há motivo para comemorar, pois este homem já não mais oferece perigo algum.

Nesta Via Sacra da Misericórdia, “acompanhando” Jesus em seu caminho para o Calvário, também acompanhamos o caminho do homem que sofre.

Ao visitar cadeias, hospitais, enfermos em suas casas, casais que já não se entendem  e entrou a tristeza em seu lar, vemos que a Misericórdia é necessária para todos, sem exceção.

Leitor 2.

E se você que sofre acha que Deus o abandonou, olhe para este caminho de dores que Jesus faz para nos salvar.

Não é abandono de Deus. A cruz faz parte da condição humana depois do pecado original.  Mas alguém carregou uma cruz, por nós, bem mais pesada do que a sua.

Jesus caiu não só uma vez em sua caminhada com a cruz para o Calvário. A Pedro que pergunta quantas vezes devo perdoar, até sete? Jesus responde: não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete.  (Mt. 18, 21 – 22).

Assim é a Misericórdia de Deus, sempre pronta a nos perdoar. Assim também devemos perdoar aos que nos ofendem. Só o perdão quebra a cadeia de vinganças, ódio, agressões e retaliações e traz a paz. Jesus nos ensinou o “segredo da paz”. Paz em nível individual, familiar e das nações. Ao perdoar você faz um benefício a si mesmo.

Leitor 3.

Maria vê seu filho cair. Não pode fazer nada. É a hora das trevas. Ele, a Luz do mundo, submete-se à hora das trevas para que nós pudéssemos ver. Para que a luz dele e que ele é, pudesse brilhar para nós. (Jo. 8, 12)

Guardar a fé! Não sucumbir diante das provações, tentações, seduções do mundo.

Divina Misericórdia, pérola de valor infinito tende misericórdia de nós.

Diga ao ler esta reflexão: Divina Misericórdia eu me consagro a Vós.

Pe. Macedo da Divina Misericórdia





VIª Estação da Via Sacra da Misericórdia

26 01 2015

VI Estação. Verônica enxuga o rosto de Jesus.

Leitor 1.

Vai pelas ruas de Jerusalém o condenado com sua cruz, a multidão acompanhando curiosa aquele espetáculo fora do comum. Há no meio da multidão, pessoas piedosas e que sempre o seguiram, conhecem-no, pessoas curadas por ele, pessoas que se encontraram graças a ele, discípulos. (Lc. 23, 27 – 29)  Uma mulher não resiste ao ver seu rosto todo ensangüentado; nem sequer pode enxergar direito, pois o sangue coagulado impede sua visão. Avança em direção a Jesus e com uma toalha enxuga seu rosto! É a delicadeza da mulher que vem “em socorro” do pobre homem coroado de espinhos. Um homem ajuda a carregar a cruz, agora uma mulher limpa seu rosto com uma toalha.

Leitor 2.

Mais uma vez um gesto ficará imortalizado, pela misericórdia de Jesus. Quem não conhece Verônica, que na Semana Santa é sempre lembrada com uma toalha na qual está estampado o rosto de Jesus. E o seu canto: Olhai e vede se há dor semelhante a minha dor.

Homem e mulher, pais e mães, religiosos e religiosas, rapazes e moças são chamados a exercer as obras de misericórdia.

Leitor 3.

Quantas vezes, circunstâncias adversas trazem o desprezo e agressões, quando deveriam trazer misericórdia.

Há quanto tempo não recebo visita de ninguém, disse uma mãe no asilo. Nem mesmo meus filhos me vêm visitar, e eu tenho vários. Nunca se pode abandonar uma mãe, um pai. E a gratidão por tudo que fizeram? (Lc. 17, 11 – 19)

Verônica, mulher que se condói da dor alheia, que tem misericórdia.

Divina Misericórdia, força dos fortes e dos fracos tende misericórdia de nós.

Diga ao ler esta reflexão: Divina Misericórdia eu me consagro a Vós.

Pe. Macedo da Divina Misericórdia